Melhorar o fluxo de caixa – 7 Dicas

Melhorar o fluxo de caixa – 7 Dicas

O lado financeiro é o calcanhar de Aquiles de qualquer negócio. Não adianta nada ter os melhores colaboradores, processos e fornecedores se não houver renda. No final das contas é o fechamento do mês que diz se a empresa está indo bem ou não.

Esse fator pode ser frustrante para muitos empreendedores, mas é importante que isso seja claro. Controlar as informações financeiras passa a ser determinante para o sucesso da sua empresa.

Sabendo disso, confira a seguir 7 dicas para melhorar o fluxo de caixa.

  1. Faça o planejamento financeiro

Não basta saber da importância do seu fluxo de caixa sem levá-lo a sério no dia-a-dia da empresa. Isso significa mais do que simplesmente lançar os dados ao final do mês. Você precisa montar um verdadeiro planejamento financeiro.

Essa é a melhor forma de acompanhar o seu negócio de perto e garantir que os resultados serão positivos. O planejamento não deve ser apenas do mês, mas do futuro próximo também.

Quanto você já tem de endividamento para o próximo mês? Essa é uma pergunta que todo gestor deve ter facilmente através do seu fluxo de caixa. Receitas futuras também devem ser consideradas. Assim você terá uma visão de longo prazo do seu negócio.

A razão para se preocupar com isso vai além de simplesmente colocar no papel os resultados da empresa. Assim você poderá entender se os próximos meses já possuem receitas comprometidas ou não (aumentando a assertividade em uma tomada de decisão).

Um exemplo? Imagine que você quer reformar uma área específica da empresa. Com o fluxo de caixa atualizado você consegue ver se a situação financeira está tranquila ou não, permitindo a certeza sobre a viabilidade ou não da reforma. Isso vale para todo tipo de investimento ou compra.

  1. Organização das linhas

O seu fluxo de caixa deve conter várias linhas e ser o mais específico possível. Boa parte dos gestores tenta poupar tempo nesse exercício e usa de nomes genéricos para a separação das despesas. Se você faz isso, reveja imediatamente essa ideia.

Por exemplo, evite usar o nome de “despesas fixas” para agrupar luz, água e gás. Não que você não possa ter essa linha somando os valores, o que não se deve é ignorar a abertura dessas despesas.

Sem fazer a abertura, como saber qual item tem feito os custos subirem e comprometerem as receitas? É essencial ter a visibilidade máxima do negócio até para entender o que está bom ou não.

  1. Ser detalhista é uma característica positiva

As aberturas das suas linhas devem ser feitas ao máximo possível. Pode parecer trabalhoso, mas isso garante a maior capacidade analítica sobre o desempenho mês após mês.

Os detalhes devem incluir ainda a maneira com que você registra os itens do negócio. Evite abreviações que possam gerar dúvidas sobre a ideia inicial e que cause distorção de preenchimento em momentos diferentes. Isso prejudica a análise do seu fluxo de caixa.

  1. Tenha uma rotina

O preenchimento do seu fluxo de caixa deve ter uma rotina fixa e inalterável. Defina datas ou ao menos dias específicos (primeiro dia útil do mês ou primeira segunda-feira do mês, por exemplo). Deixar essa data em aberto pode gerar falhas no cumprimento dos prazos.

O período também não deve ser longo de uma data para outra. Não que seja necessário sentar todo dia para analisar o seu fluxo de caixa, mas determine um período curto como a quinzena ou o mês. Com regularidade a eficiência desse processo tende a crescer.

  1. Não se esqueça dos lançamentos futuros

Na primeira dica de como melhorar o fluxo de caixa falamos sobre a importância de caprichar no planejamento dos meses futuros, mas esse é um item que merece reforço.

Não basta planejar: você deve sempre organizar os lançamentos futuros. Isso vale tanto para despesas como também para as receitas. Fez vendas a prazo? Já faça os lançamentos futuros no seu controle de fluxo de caixa.

O mesmo vale para compras feitas a prazo. Você precisa saber quanto a empresa está endividada para ter as tomadas de decisão.

E isso não deve ser feito apenas para os grandes valores. Tudo que estiver com valores parcelados devem estar devidamente organizados. Só assim para ter uma visão real do que está acontecendo com o seu negócio.

  1. Crie metas

Lembra-se do exemplo que demos da reforma? Se você já tiver o seu fluxo de caixa comprometido para meses futuros e quiser fazer algum tipo de investimento deve criar metas para melhorar o seu resultado mensal.

Essas metas podem ser sobre qualquer aspecto. Aumentar as vendas em 10%, reduzir os custos em 5% e assim sucessivamente. Isso até conquistar uma segurança de caixa que permita os investimentos desejados.

  1. Usar de um software

A tecnologia vem evoluindo muito nos últimos anos. Ela pode ser uma grande parceira para melhorar o fluxo de caixa. É o caso de softwares integrados que permitem o acompanhamento muito assertivo de tudo que acontece na sua empresa (e em tempo real).

Se você vem sofrendo para ajustar o controle do seu fluxo de caixa essa pode ser a melhor opção. Não deixe de conferir nossas soluções e veja o seu fluxo de caixa se tornar absolutamente controlado.

Comente: